segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Como anda a sua vida?

O que é viver para você? Como anda a sua vida?
São essas perguntas que tenho feito a mim mesma toda vez que paro e observo um pouco a vida de amigos, colegas e, até mesmo, de desconhecidos. Como você vive? O que é a vida para você?
Longe do pensamento aristotélico, a vida, para mim, não é cíclica. A vida é um continuum que insiste em percorrer caminhos diferentes. Às vezes um pouco tortuosos, outras vezes um pouco escuros, sem muita luz para enxergarmos se a terra está boa para caminhar. Muitas vezes os caminhos são fáceis, como num lago congelado, deslizamos, chegamos rápido. 

A vida ganha sentido diferente para cada pessoa. Para algumas, a vida se resume em uma atividade, um hobbie, uma paixão. A vida, para essas pessoas, é limitada. Não há tanto sabor na descoberta. Há muito sabor na evolução. Mas, com o tempo, a gente começa a dar voltas em busca de nosso próprio rabo. Vivemos em um cercado e não há mais para onde crescer. Os amigos são os mesmos, as atividades são as mesmas. Bebemos com as mesmas pessoas, saímos com as mesmas pessoas, fazemos as mesmas atividades, batemos o ponto da mesma forma. Vivemos de forma automatizada. Acordamos e dormimos da mesma forma. Não mudamos. Não descobrimos. O mundo acaba sendo apenas um. Ele diminui, ele fica pequeno. Perde-se um pouco do encanto dos começos. Tudo vira meio e não se pensa em um fim.

Há quem viva várias vidas. Há quem não consiga levantar a bandeira da própria vida. Há que se envergonhe por viver do seu próprio jeito. Há pessoas que não são felizes. Há pessoas que acham que a felicidade está em copo de cerveja e, quando a cerveja acaba, a vida parece não fazer mais tanto sentido assim.

Há quem não ame. Há quem queira amar, mas não encontra a pessoa certa. Há quem sofre com medo de ficar sozinho, há quem sofre com medo de ficar junto para sempre...

"Eu sei que a vida devia ser bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita:
 É bonita, é bonita e é bonita!" (Gonzaguinha)
Mas, há também quem ame. Há quem encontre a felicidade em outra pessoa. Há quem vê o amor como amigo, companheiro, confidente. Há quem saiba que, no fundo, duas pessoas se juntam para se divertirem juntas. E que, uma vida a dois, apesar de mais complicada, é infinitamente mais bonita!


Não há um modelo, uma regra a ser seguida para viver. O que importa é você saber que temos um prazo de validade. Que os anos vão passar e que nada é eterno. Se você quer aprender a fazer algo, aprenda agora. Você não sabe quanto tempo terá para fazer as coisas que você gostaria de fazer. Tentar é uma das partes mais maravilhosas. É o processo que faz da vida algo tão único, não somente o resultado. Aprenda algo novo, tente algo diferente, conheça pessoas novas. Por um momento eu achei que todas as pessoas que eu conhecia eram desinteressantes, até eu começar a fazer as atividades que me davam prazer. Primeiro pensei em mim, no meu bem-estar, nas minhas alegrias. Consequentemente, acabei conhecendo pessoas que viam a vida como eu vejo...E, assim, meu universo, tão meu, ficou ainda mais colorido e me vi cercada de pessoas que levam, dentro de si mesmas, uma vontade imensa de viver da melhor forma possível.

Então, o que é a vida para você? Como anda a sua vida?

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Dia de Mia [Parte 1]

Avalon Thomas Saliot
Mia acordou sonolenta às seis horas da manhã. Escovou os dentes antes de levar seu croissant insosso à boca. Ela gosta do gosto amargo das coisas ao se misturarem com o mentolado da pasta de dentes vencida. O café estava frio como o tempo que fazia lá fora, ou lá dentro de si mesma. Os olhos cansados carregavam bolsas de água e de tempo. Não é mais a mesma de cinco anos atrás. Nem de cinco meses. Permaneceu a mesma por cinco minutos. Cinco longos minutos de uma inércia atormentadora. A chuva congelou a janela de sua alma. Ela estava cega e enxergava os brancos das lacunas deixadas pelo vento que invadiu seu quarto escuro. Estava sem ar. O afago de um sorriso carimbava um quadro antigo pintado por um artista triste qualquer. Um sono leve pesava em seus ombros caídos e desnudava sua pele encharcada de suor. O frio queimava a febre na pele límpida. Era manhã, e a vida adormecia dentro dos sonhos tortos dela.

domingo, 27 de dezembro de 2015

50 coisas que aprendi (ou confirmei) em 2015

"Pode falar que eu nem ligo,agora eu sigo o meu nariz. Respiro fundo e canto mesmo que um tanto rouca."
1.Curitiba é um lugar lindo, mas pode ser especialmente quente.

2.A família é tudo na vida da gente.

3.A mãe da gente pode não estar 100% do tempo correta, mas ela está 100% correta no tempo que está.

4.Amigos são eternos. Alguns vem e outros vão. Os que te amam de verdade, ficam.

5.Não tome partido por ninguém. Fique do lado que te deixa encostar a cabeça no travesseiro tranquila.

6.Distribua amor. Ele volta, e volta forte.

7.Sou apaixonada por crianças. Ser professora de crianças me trouxe muitas alegrias nesse ano.

8.Maceió é um lugar surpreendentemente lindo.

9.A gente vive muito melhor quando não tira o celular da bolsa ao sair com pessoas que gostamos.

10. O celular mata a saudade de quem está longe, une a família, nos deixa a par do que acontece com quem a gente ama, aproxima tanto quanto poderia afastar.

11.Posso ler tudo o que eu quiser, mesmo muito atarefada. Consegui ler tudo o que queria.

12.O cabelo da gente é importante, mas não é tudo.

13.Tem gente que suga muito de você e você não entende porque se sente tão triste e cansado quando está com essa pessoa.

14.A gente pode se afastar dessas pessoas, caso não consiga fazê-las se afastarem da gente.

15.Há um amor tão grande e tão diferente em mim. Cresceu desde que soube que seria tia (da Julinha).

16. As músicas falam por nós.

17.Eu, definitivamente, amo correr. Amo o prazer que a corrida proporciona. Sou eu, sozinha, alinhando meus pensamentos, ouvindo meu coração. Ao correr, tomo uma injeção de coragem.

18.Gosto de correr sozinha.

19.Também gosto de correr com uma pessoa.

20.Sou muito teimosa. Gosto de superar meus limites.

21.Aprendi que limites servem para serem respeitados.

22.A gente pensa que está recuperado por fora, após uma cirurgia, mas, na verdade, ainda não estamos totalmente recuperados por dentro.

23.Vou com muita sede ao pote. Isso me ensinou a ter mais paciência com tudo o que não posso mudar.

24.Sou apenas uma. Preciso fazer as coisas devagar.

25.Preciso respeitar meu tempo.

26.Não adianta estabelecer uma meta de vida, se você viver apenas com o intuito de alcançar essa meta.

27.Preciso dirigir mais devagar.

28.Abrir uma garrafa de vinho com o abridor apropriado é extremamente fácil.

29.Um café com bolo é melhor a dois.

30.Romance policial é bom demais.

31.Dá para arranjar uma posição boa para os dois ao se dormir de conchinha.

32.As versões acústicas são mais bonitas.

33.A gente precisa beber bastante água. Esse ano bebi mais água do que no ano passado.

34.O doutorado pode ser complicado no início.

35.Meu orientador sempre lembra que tenho asas enormes e que, sempre que quiser, posso voar.

36.Algumas pessoas não são tão interessantes quanto parecem.

37.Pessoas vaidosas demais me cansam.

38.5 a 6 horas de sono por noite são suficientes para mim.

39.Gosto bastante de pizza de pepperoni.

40.Chá é mais gostoso geladinho.

41.Suco de limão é o meu preferido.

42.Chocolate meio amargo é bom.

43.Preciso cuidar dos meus rins.

44.O amor pode ser leve, levinho. Você pode ter alguém carinhoso, inteligente, educado, sensível e amoroso. A vida se encarrega de te dar gente do bem de presente.

45.Palavras são importantes. Escritas ou faladas. Através delas a gente entende o outro.

46.Ser autêntico não é ser diferente.

47.Deus não te abandona. Nunca. Em nenhum momento.

48.As pessoas podem te decepcionar. São pessoas.

49.Algumas pessoas são confusas e ingênuas demais para fazerem aquilo que acreditam que é o certo.

50. Todos somos influenciáveis. Algumas pessoas são mais que outras e podem tomar decisões que podem te deixar muito triste.

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Meia-Noite

Fonte: http://www.saleoilpaintings.com/paintings/john-white-
alexander/john-white-alexander-woman-with-a-tea-cup.html
Tudo é calmaria...perto da meia noite, todo meu meio é inteiro. Ouço o silêncio do vento. A noite grita calada. A janela sorri para a lua, cansada. As luzes acesas acusam os insones. Tudo é calmaria. Todos recolhidos. Não há suor que não seja o dos amantes, não há lágrimas que não sejam as dos solitários e não há palavras perdidas que não sejam dos poetas...insones... 

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Recomeço

Fonte da Imagem: https://41.media.tumblr.com/b4c7beb6b73c7e87f3
8c8cb328eb1f9a/tumblr_mtjlcniEl61r7lixxo1_500.jpg
Hoje é dia primeiro. Para alguns, recomeço, uma chance de começar novamente, "zerar" as expectativas, traçar novos objetivos. O dia primeiro é como a segunda-feira na nossa semana. É o dia de começar uma dieta, é o dia de tentar acordar cedo, é o dia de festejar um novo recomeço, que se renova quatro vezes por mês. O dia primeiro é a primeira e última chance de recomeçar em um mês, mas não significa que seja a única. Os recomeços são internos e dependem sempre da forma como você consegue enxergar o mundo. O calendário me parece uma forma de reorganizar as nossas vidas. Viver, para mim, é a forma mais prática de desorganizá-la. Se você vive, sua cama pode ficar por fazer, seus sapatos, trocados diariamente, encontram-se espalhados pelo chão. Não há como ler um livro sem abri-lo, e, quanto mais novo e mais grosso, maiores as chances em se amassar sua capa.
Hoje é dia primeiro. Para alguns, recomeço, uma chance de fazer desse o melhor mês do ano. Para outros, uma extensão do tão odiado agosto. Alguns esperam que o mês passe rápido. Em dias de sofrimento, queremos fechar os olhos, dormir e só acordar no dia seguinte. Em dias felizes, desejamos que durem para sempre. Nós fazemos os nossos dias, nós criamos os nossos inícios, pois somos nós que decidimos quando começar, quando terminar, quando interromper e quando recomeçar.
Hoje é dia primeiro, o primeiro dia do mês de setembro. O que você tem guardado? O que é tão valioso que não possa ser vivido, feito, realizado ou iniciado hoje? O que te faz bem? O que te faz querer viver por mais tempo?
Hoje é o primeiro dia do mês de setembro. O seu recomeço pode não ser hoje, quem decide o primeiro dia do mês é você. Seu jogo, sua vida, suas regras. Recomece no dia trinta, ou continue o que começou no terceiro dia de agosto. Você só vai viver essa sua vida uma vez. Hoje é o primeiro dia do mês de setembro, mas só existirá um dia como hoje. Neste ano, esse dia é único, como você.

sábado, 1 de agosto de 2015

Oceanar

Fonte: http://favim.com/image/241422/
Se os erros passados te fazem presente
O mar por ti envolto te acolhe e te chama de chão.
Um sopro púrpura de vento te faz fôlego;
Em ti sou um erro, um tormento, um tornado, um vulcão.
E, atormentado pelo que te fere, a adaga dos erros passados transpassa o coração que pulsava já sem vida, sem cor.
Há o amor em ti vívido. Em mim, ferido. Não há mais canção para compor.
E, como os pássaros que mergulham em um céu anil infinito, mergulho em teus braços de fel e compaixão.
Me faço ausente de mim mesma e sinto aromas antigos. A dor do que se foi em minha alma faz abrigo.
E deixo escapar lágrimas que queimam uma fronte estampada em memórias impressas em tons de aquarela de um pintor qualquer.
Na boca não há sorrisos. Os dentes escondem-se tímidos, limitam-se à mastigação.
Engulo um coração com gosto de fígado. Perco meu fígado num mar de imensidão de pulsar.
Pulso por respirar. Subindo à tona de algo que já não mais existe, recupero o ar em um sopro escuro de luz.
Há um ar vazio que preenche as almas que amam. As almas cheias de um amor vão, as almas pesadas pelo destino do incansável amar.
Busquei estrelas no fundo do mar dos teus olhos. Cavalos marinhos guardavam-nas perdidas em corais. As lágrimas oceanaram o teu ser. Em mim, a dor. Em meu peito, o amor de algo que nunca foi meu.
Quem sabe o destino daqueles que amam seja, decerto, um nada. Sempre em frente, mas um nada. Nada! Continuo a nadar afogada em memórias, tenho teu hálito para respirar.
Quem sabe há vida na superfície? Quem sabe a vida me deixe flutuar? Quem sabe há potinhos de candura do lado de lá e os erros presentes já não se fazem passado?
Um sopro...um sopro púrpura...
Continuo a nadar no céu e, de olhos fechados,
oceanar...

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Arrependimento

Fonte: http://imgbuddy.com/abstract-kiss-painting.asp
A minha alma chora
pelo vão que ficou
Veio, tomou conta de mim
Invadiu tudo o que era por dentro
O que eu era
Se
foi

Dominou meu ser,
mexeu comigo dia e noite
e tardes...

Perdi o sono
Perdi o juízo

Ganhei a vontade...Perdi

Eu o perdi
E, naquela sala escura
nas horas que se passavam após o almoço
As almas que marchavam para casa cansadas
O conhecimento acadêmico que não lhe cabia no peito
na alma
na mente

O quase-beijo
A vontade em sua totalidade
O desejo
Se era amor, não sei
Se estaríamos juntos até hoje, não sei
Ele era um tudo que me completava
E eu, vazia, me sentia completa
Já cheia de me sentir vazia,
Tremendo do frio e da ausência
Suando o calor do beijo
do quase-beijo.

Esqueço de muitas coisas
Mas, de seu quase-beijo eu nunca esqueci.
E um quase-choro toma conta de mim neste momento
tola!

Que durma comigo hoje, dentro de mim,
E que seus lábios sejam afago aos meus,
nunca beijados por ti.

Arrependimento.